O que é felicidade?

FELICIDADE: Algo que todo mundo quer, mas que não está à venda em nenhuma loja ou farmácia!

Curiosamente, a felicidade é algo que sabemos muito bem reconhecer quando estamos felizes, mas temos uma grande dificuldade em explicar o que ela é! Natural! Afinal, felicidade é um tipo de sentimento, emoção, estado mental ou de espírito que possui um grande grau de subjetividade, ou seja, aquilo que faz um de nós feliz, não necessariamente faz outros felizes!

De todas as tentativas que eu conheço de definição do que é felicidade, uma das que mais me agrada é a proposta por Tal Ben-Shahar. Esse cara foi professor de Harvard nas áreas de psicologia positiva e psicologia da liderança, tendo lançado alguns anos atrás um curso sobre felicidade dentro de Harvard e que por muito tempo foi um dos cursos que mais atraiu alunos de toda a universidade. Ele também é autor de alguns livros sobre o assunto, dos quais eu recomendo o Happier!

Segundo ele, a felicidade seria a experiência global de prazer ou emoções positivas, somada a uma vida que é percebida com um bom senso de propósito.

Quando falamos de emoções positivas, estamos falando de prazer, paixão, alegria, excitação, esperança e toda a gama de sensações positivas que podemos imaginar, mas que podem ser fugazes. Ao falar de propósito, o foco é em tudo aquilo que nos faz perceber que nossa vida tem sentido, como autoconhecimento, o senso de contribuição e crescimento pessoal, a sensação de presença, o sentimento que estamos seguindo nossos drives e aquilo que nascemos para fazer e até o famoso mindfullness que está agora bastante capilarizado em tantas áreas.

Além de simples, essa definição tem, na minha opinião, a elegância de nos permitir analisar nossa felicidade não como uma fotografia congelada ou um ponto estático na nossa vida, mas mais como um filme ou até mesmo como se cada um de nós vivesse a sua própria versão de uma jornada pessoal, na qual é inclusive possível experimentarmos momentos de dissabor pessoal, afetivo ou profissional e ainda assim nos considerarmos felizes.

Cabe também fazer aqui uma rápida distinção entre felicidade e prazer: O prazer, apesar de também muito desejável e necessário para uma vida plena, possui uma característica de habituação que é uma de suas principais diferenças quando comparado à felicidade. Basta que você pense em sua sobremesa favorita. A primeira mordida ou colherada dela tem um sabor e te provoca uma sensação bem mais intensa do que a vigésima, não é verdade?

Sobre Ivan de Marco

Personal Trainer Life, Connections, Happiness & Performance Coach Hypnotherapist Speaker and Writer Sports, Dogs, People, Music, Movies and Technology lover!
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s